Gallery

Como anda o mercado brasileiro de informática?

Por: Vinícius Lopes - Tecnologia em Geral


A tecnologia anda em passos largos, em pouco tempo temos mudanças extremas no mercado de informática em geral, a empresa que não se adaptar rapidamente, esta fadada a sair do mercado.


Nesses últimos tempos muita coisa mudou no Brasil, tivemos crises, tanto financeira quanto política, o mercado teve muitas perdas, uma das mais notáveis foram a saída da CCE do mercado consumidor, tivemos a Philco saindo do mercado de informática, a Semp desfazendo a Joint-Venture com a Toshiba, e fazendo uma parceria com a chinesa TCL...

Empresas brasileiras sofrem ainda mais, os impostos sobre importação aumentaram, as vendas diminuíram no mesmo período.

Agora na segunda metade de 2017 temos um mercado de incertezas;


  • A CCE promete voltar ainda esse ano ao mercado, mas cada vez mais isso é incerto.
  • A Britânia pode tirar a marca Philco do mercado, já que o contrato de aluguel sobre o nome firmado em  2007, valido por 10 anos já está chegando ao fim, e a empresa de Curitiba ainda não fez nenhuma movimentação a respeito, ao contrário, os produtos com a marca Philco estão diminuindo gradativamente.
  • A Evadin está tentando sobreviver com a vendas pífias dos smartphones da ZTE no país, pouco marketing, e aparelhos desatualizados mostram que a empresa realmente não está bem.
  • A Positivo, é a única que parece está bem do mercado, com a marca Quantum e Vaio no portfólio, as vendas estão indo bem, mesmo a Quantum ainda sentindo um pouco o mercado e testando a concorrência.
  • A Gradiente, completamente fora do mercado, o nome da empresa assim como ativos estão nas mãos da Justiça do Rio de Janeiro.
  • A Multilaser não esta nada mau, lançando novos produtos, linha de informática e com um bom relacionamento com o cliente, ela está deixando a marca de "ruim e baixa qualidade" para trás.
  • A DL realmente não se mostra uma empresa que entende bem o mercado, lançando ainda tablets de entrada bem simples e smartphones super básicos, ainda precisa encontrar a mão certa (o público mudou, não estão mais atrás de produtos baratos como antigamente).
  • O mesmo vale para a HOW/Navcity, tablets baratos não são mais um chamariz de consumidor, mesmo ainda tendo esse público bem reduzido.
  • A Semp para sobreviver comprou a parte que pertencia a Toshiba e anunciou parceria com a chinesa TCL, formando a SEMP TCL, saindo do mercado de TVs com marca própria e lançando TVs da TCL e Toshiba no país, saiu também do mercado de informática e entrou no ramo de eletrodomésticos para concorrer com a Britânia, a empresa anunciou que está de olho nas vendas de smartphones da Alcatel/Blackberry (empresas da TCL) para vê se consegue entrar no segmento a longo prazo.
Esse é o mercado de informática atualmente, somente um panorama atual da tecnologia no Brasil, acredito que em 2018 o mercado estará mais estável e com boas vendas para todas as empresas.





Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »
Obrigado pelo seu comentário